Hoje: segunda, 18 de dezembro de 2017

Segundo pesquisadores, as pessoas têm uma má percepção dos laços de amizade e são incapazes de diferenciar os “amigos” dos “conhecidos”

 

 

 

Você até pode se considerar popular, mas uma recente pesquisa revelou que apenas 50% das pessoas correspondem ao sentimento de amizade. As informações são do site do jornal The Telegraph .

 

Para o estudo, cientistas da Universidade de Tel Aviv, de Israel, e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, realizaram extensas experiências sociais e analisaram dados de outros experimentos para determinar quantas amizades são recíprocas e quantas são unilaterais.

 

Foto: iStock

 

Os resultados foram publicados no jornal on-line Public Library Of Science , e revelou que muitas pessoas têm uma má percepção dos laços de amizade e, portanto, são incapazes de diferenciar com sucesso os “amigos” dos “conhecidos”.

 

“Acontece que nós somos ruins em julgar quem são nossos companheiros”, disse o Dr. Erez Shmueli, que conduziu a parte israelense da pesquisa. “A nossa dificuldade em determinar a proporção de amizade limita significativamente a nossa capacidade de se envolver em acordos de cooperação. Nós aprendemos que não podemos confiar em nossos instintos ou intuição. Deve haver uma maneira objetiva de medir essas relações e quantificar seu impacto”, disse.

 

Os cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts separaram 600 estudantes da Europa, Estados Unidos e Israel, e pediram para eles avaliarem os níveis de amizade e a expectativa de reciprocidade.

 

“Descobrimos que 95% dos participantes pensavam que seus relacionamentos eram mútuos. Se você acha que alguém é seu amigo, espera que ele se sinta da mesma maneira. Mas, na verdade, não é o caso, pois apenas 50% se classificaram no nível de amizade bidirecional”, explicou o Dr. Shmueli.

 

“As relações que são retribuídas são importantes por causa da influência social. Então, neste experimento, analisamos que os diferentes incentivos para a afeição faz com que a pressão pela amizade supere pelo dinheiro em termos de motivação”, disse.

 

Os cientistas acreditam que um “algoritmo de amizade” desenvolvido como resultado do estudo mostra um nível extremamente alto de precisão para saber se uma amizade será unilateral ou não. “Nosso algoritmo não só diz se uma amizade é reciproca ou não como também determina a direção e o sentido dela”, concluiu Scmueli.

ÚLTIMAS

beijar 17 04 2016